Associada da AMATRA 19 fala sobre o movimento Abril Verde na rádio CBN Maceió

A associada da AMATRA 19 e juíza da Vara do Trabalho de Palmeiras dos Índios, Carolina Bertrand, falou sobre a campanha Abril Verde na rádio do CBN Maceió (140.5 FM) na manhã desta terça-feira (21). A magistrada é gestora regional do Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho criado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Bertrand iniciou a conversa com o radialista Elias Ferreira explicando que o pilar da campanha é despertar e conscientizar cada vez mais os trabalhadores e toda sociedade sobre a importância de se investir o máximo de recursos – financeiros, cultural, educacional – na prevenção de acidentes e doenças do trabalho. “Infelizmente, é necessário que se tecle sempre na mesma tecla, porque nosso país é um dos campeões em acidentes do trabalho no cenário mundial”, revelou.

A magistrada também elencou as várias consequências de não investir em medidas protetivas de acidentes de trabalho. “O ônus vai tanto para sociedade, porque o sistema de saúde vai precisar tratar desse empregado, quanto para o sistema previdenciário, pois vai ser concedido o auxílio acidentário. Além disso, o empregador também vai sofrer com absenteísmo do seu funcionário, que vai estar afastado por licença ou até chegar a uma aposentadoria por invalidez”.

Na entrevista, Carolina Bertrand salientou que embora o mês de abril seja o período em que se jogam os holofotes sobre a prevenção de acidente e doenças do trabalho, é essencial que a conscientização sobre as medidas de proteção se estenda por todo o ano. “O Tribunal Regional do Trabalho todo ano faz reuniões com entidades sindicais, patronais e de trabalhadores, movimentos de todas as ordens, para se pensar em ações de aproximação e despertar de todo nós”.
A magistrada também publicizou que os magistrados da Justiça do Trabalho em Alagoas até a primeira metade de abril tinham liberado oito milhões de reais em ações voltadas para auxiliar hospitais públicos e ações sociais para se administrar o caos que estamos vivendo. “Estamos todos envolvidos na preocupação da saúde dessa nossa população que precisa de assistência”, defendeu.

A juíza do Trabalho da Vara de Palmeira dos Índios finalizou a conversa na rádio CBN falando que, nessa pandemia do novo coronavírus (covid-19), iniciativas de proteção devem partir de dentro de casa. “O nosso cuidado com a higienização das mãos, coçar menos olhos e nariz e atenção aos pequenos gestos serão gradativamente transplantados para o ambiente de trabalho”, e complementou lembrando que a situação atual é “como se todos estivéssemos dentro de um mesmo barco e por isso, é necessário que as atitudes de cada um sejam refletidas, pensando-se na coletividade”.